Foi protocolado nesta quarta-feira (16) o requerimento 5510/2019, de autoria da deputada estadual Estela Bezerra (PSB), que solicita do IBAMA informações sobre as medidas que estão sendo tomadas no sentido de mitigar os impactos ambientais em relação ao derramamento de óleo nas praias do nordeste, notadamente, no Estado da Paraíba.

Desde o dia 2 de setembro, manchas gigantescas de petróleo se espalham pelo mar do Nordeste brasileiro. Até agora, de acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), 150 localidades de nove estados foram atingidas pelas borras espessas do óleo, poluindo água, areia e comprometendo todo o ecossistema, configurando o que já é considerado o maior acidente ambiental em extensão do litoral do Brasil.

Inicialmente apontado como proveniente da Venezuela, foram encontrados barris com a marca Shell. Sem encontrar manchas ou mesmo vestígios nas operações em alto-mar, a investigação pouco avançou e esbarra em uma total falta de informações e de fatores técnicos e científicos. A ausência de detalhes também impede prever onde e quando novas manchas vão aparecer.

De acordo com a justificativa do requerimento, “o IBAMA, na Paraíba, informa que as manchas de óleo podem ser vistas nas Praias de Tambaba, Gramame, Praia do Amor e Jacumã. Inicialmente, o problema atingiu 16 praias em 6 cidades. Além do Conde, foram afetados João Pessoa, Cabedelo, Mataraca, Rio Tinto e Pitimbu. As outras 12 praias já estão limpas e não foram constatados novos registros”.

A contaminação atinge plantas e animais marinhos e pode provocar reações em seres humanos.
Nesse sentido, o requerimento solicita que o IBAMA esclareça quais as medidas de contenção de impacto ambiental que estão sendo tomadas, para que a população seja esclarecida e volte a se sentir segura em nossa faixa litorânea.