A deputada estadual Estela Bezerra (PSB) visitou o brejo paraibano na última quinta-feira (3), cumprindo agenda parlamentar com destaque para a educação. No município de Remígio, a deputada fez a entrega de instrumentos musicais, e em Areia, realizou uma audiência pública que debateu o fechamento das Escolas do Campo.

Em Remígio, a parlamentar participou da entrega de instrumentos musicais para escolas municipais, que foram adquiridos por meio da emenda parlamentar 068/2017, de autoria da deputada, que destinou R$ 150 mil reais para a educação naquele município. Além dos instrumentos musicais, os recursos a emenda foram utilizados na reforma e ampliação de uma escola, e serão empregados na aquisição de mesas e carteiras e material para o laboratório de informática.

Já no município de Areia, Estela Bezerra promoveu uma audiência pública em defesa da Educação no Campo. A proposta da audiência partiu do Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA. Só na região, 11 escolas do campo foram fechadas, contrariando o que preconiza a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional quando afirma que antes de fechar uma escola de campo, é preciso haver um estudo e uma avaliação do Conselho de Educação, além de um debate público e um pacto entre a comunidade escolar e a gestão municipal.

A audiência aconteceu na Escola Municipal Maria Emília Maracajá, uma das unidades que foram fechadas pela prefeitura e que ainda funciona por iniciativa voluntária de alguns professores.

De acordo com a deputada Estela, o que ocorre no momento é um desmonte das estruturas da educação na zona rural. “Não estamos nem falando da educação do campo – que tem um conteúdo e uma pedagogia específica – falamos da escola que está próxima da família que trabalha e vive no campo. Não é razoável que no município de Areia 11 escolas sejam fechadas, isto terá um impacto grande na vida das pessoas”, disse a parlamentar, que se comprometeu a acompanhar a questão.

“Vamos acompanhar essa demanda, juntamente com o Ministério Público, para que essas pessoas tenham políticas públicas de educação adequadas às suas realidades”, finalizou.

Fotos: Martha Vasconcelos