Foto: Estela na manifestação dos estudantes da ECIT João Goulart em João Pessoa

Durante a Sessão Ordinária desta terça-feira (7) da Assembleia Legislativa da Paraíba, a deputada estadual Estela Bezerra (PT) usou seu tempo de fala no Pequeno Expediente para denunciar as condições das escolas públicas da rede estadual.

“Estamos vivendo uma situação de calamidade na educação pública. Depois de dois anos de total paralisação por conta da pandemia, não houve por parte do poder público nenhuma obra de manutenção das escolas, mas não só: houve problemas nas matrículas e faltam diretores e diretoras em escolas estratégicas”, disse a parlamentar.

A fala de Estela corrobora com as ações recentes do Tribunal de Contas do Estado, que iniciou uma auditoria em 278 escolas públicas de todo o estado. A operação conta com a participação de 90 auditores e irá verificar a situação das unidades escolares estaduais e municipais após a retomada das aulas presencias na rede pública de ensino em 80 Municípios.

Ainda durante sua fala, a deputada apresentou um vídeo onde mostra a situação de escolas estaduais nos municípios de Bayeux, Santa Rita, Campina Grande, Assunção, Cacimba de Dentro, São José da Lagoa Tapada e Mamanguape.

Na última semana, Estela presenciou uma manifestação dos alunos da ECIT João Goulart, no bairro do Castelo Branco, uma unidade que corre risco de desabamento e que está com 1/3 de sua área interditada.

“Estamos vivendo no escombro do que estava sendo construído na educação. É uma situação que precisa ser enfrentada de maneira correta, madura e respeitosa pelo Governo do Estado. São mais de 12 mil alunos com problemas de acesso à educação e essa Casa não pode se omitir nesse momento”, finalizou.

Auditoria do TCE

No final da manhã desta terça-feira (7), o desembargador do TCE, Fernando Catão, concedeu uma coletiva de imprensa para esclarecer que a auditoria nas escolas não terá caráter punitivo, mas de recomendações. Ao final das visitas, será produzido um relatório que será encaminhado ao estado e aos municípios. O objetivo é que os gestores acatem as recomendações. Ainda de acordo com Fernando Catão, esse mesmo relatório deverá ser utilizado como subsídio para avaliar o uso dos recursos públicos.

Para maiores informações sobre a situação das escolas estaduais, acompanhem o perfil @deolhonasescolaspb no Instagram