Durante o Pequeno Expediente desta terça-feira (20), a deputada estadual Estela Bezerra (PSB), usou seu tempo regimentar para fazer uma defesa da educação pública no país. O pronunciamento aconteceu no Plenário José Mariz, na Assembleia Legislativa da Paraíba.

Para a parlamentar, o Brasil passa por um processo de colapso na educação, e relembrou as manifestações que aconteceram por todo o país na semana passada.

“Além do fim do FUNDEB, anunciado para 2020, e que atinge diretamente as estruturas e o financiamento do ensino fundamental e do ensino médio, vemos uma grande cruzada de extermínio das universidades públicas e dos institutos de educação”, afirmou.

Sobre o desmonte das universidades públicas, Estela relembrou que os cortes de 35% no repasse de recursos públicos irá inviabilizar o funcionamento da UFPB e da UFCG já partir de setembro.

“Outro ponto de corte são as bolsas de iniciação científica do CAPES e do CNPQ que irão atingir 84 mil alunos de graduação e pós graduação, num impacto direto na produção de conhecimento”, disse Estela, que finalizou sua fala repercutindo a nomeação de 4 reitores de instituições federais que não participaram do processo de disputa legítimo.

“Nós fizemos uma pactuação social onde as universidades teriam autonomia administrativa, e isso implica nomear um reitor ou reitora reconhecido pela comunidade acadêmica, e não pela relação política com o presidente. Estamos enxergando um ataque sistêmico ao princípio da democracia, que está dirigida e ordenada às políticas de educação”.