Dando continuidade à uma série de reuniões da Frente Parlamentar Ambientalista, o mandato da deputada estadual Estela Bezerra, realizou na tarde da última quinta-feira (2) mais um encontro da Frente, com o objetivo de debater as ações do Programa PB Rural Sustentável, do governo estadual.

O intuito dessas reuniões é fazer uma escuta com a sociedade civil sobre os principais desafios dos pequenos produtores rurais com a sua produção e escoamento, e ao mesmo tempo, pensar propostas que possam garantir a segurança alimentar e nutricional da população mais vulnerável.

Neste terceiro encontro, entidades e cooperativas se reuniram com o secretário executivo do Projeto Cooperar, Omar Gama, para debater o Projeto PB Rural Sustentável no sentido de discutir as linhas e o funcionamento do Projeto Cooperar; os recursos liberados pelo Banco Mundial; e abrir um canal de diálogo sobre a contratação da sociedade civil para executar ações do projeto.

Na ocasião, também foi apresentada a Carta dos Movimentos sociais do campo ao Governo do Estado da Paraíba, com reivindicações e propostas para que o governo estadual realize a aquisição de alimentos destes produtores, e em parceria com as organizações da sociedade Civil, e construir uma rede de distribuição nas várias microrregiões da Paraíba.

Sobre o Projeto PB Rural Sustentável, uma das principais queixas dos representantes das entidades diz respeito à ausência da sociedade civil na construção e execução do projeto.

Para Maria Eduarda, representante da Pastoral da Juventude Rural, é importante incluir a juventude nos editais do Cooperar, uma vez que a categoria não vem sendo contemplada. “Não temos autonomia, acesso à educação, e precisamos do nosso próprio espaço e poder de fala nas decisões”, afirmou.

Para Kleiton Albuquerque, um dos representantes do mandato da deputada Estela Bezerra, é necessário aproveitar a vivência das experiências que deram resultado positivo. Ele também propôs que a sociedade civil participasse do processo junto ao Banco Mundial. “Precisamos pensar nessa possibilidade. Quando o diálogo ocorre com a sociedade e o financiador, as coisas tendem a andar com mais rapidez”, disse.

Histórico da Frente durante a pandemia

A primeira reunião da Frente Ambientalista ocorreu ainda no início do mês de abril. Naquela ocasião, foi debatido o tema “Soberania Alimentar em tempos de pandemia”, de onde saíram 16 requerimento, pedidos de informação ao governo do estado, e três projetos de lei.

No segundo momento, realizado no final do mês de maio, foi debatido o fortalecimento da cadeia produtiva local como garantia da soberania alimentar. Na pauta, a avaliação dos encaminhamentos da reunião anterior e novas propostas de ação. Desta feita, foram encaminhados quatro projetos de indicação, três requerimentos, uma reunião com o setor cooperativas e um encontro com o Projeto Cooperar (que aconteceu nesta quinta-feira, 3) para debater linhas projeto para juventude e a participação das organizações sociais na assessoria técnica do PB Rural Sustentável.