A deputada estadual Estela Bezerra (PSB), participou na manhã desta quinta-feira (5) da abertura do Seminário ‘Cidades Democráticas’, promovido pelo Fórum Plano Diretor Participativo, que aconteceu no Espaço Cultural. O objetivo do encontro é mobilizar a sociedade sobre a importância da participação popular na revisão e construção do Plano Diretor de João Pessoa.

Palestrante do painel temático Planejamento Urbano e Participação Popular, a deputada Estela afirmou que esse movimento é antes de tudo, político, e salientou a importância do conhecimento histórico acumulado na construção do Plano Diretor.

“Trouxemos experiências e visões da cidade e uma visão do contexto político. A partir desse momento, temos a missão de construir esse processo e a compreensão de que não podemos contar só com os poderes públicos, mas com os agentes políticos nesse processo”, disse a parlamentar, que já ocupou o cargo de Secretária de Planejamento da Capital e participou da elaboração do Plano Diretor no ano de 2008.

Estela também salientou a importância em se pensar uma estratégia de comunicação para que a população saiba o que está em jogo com o Plano Diretor. “É muito distante o conceito do imaginário das pessoas, temos a obrigação de mostrar que este Fórum está na rua”, finalizou a deputada.

Paola Paes Manso, arquiteta que coordenou três processos participativos em planos diretores em cidades de São Paulo, também participou do painel ‘Planejamento Urbano e Participação Popular’, trouxe a experiência de planos nos quais participou e se tornaram referência para o Ministério das Cidades e concorda com a necessidade de estabelecer um diálogo mais direto com a população.

“Esse evento é uma iniciativa importante para construir o envolvimento da população, que é naturalmente difícil. É interessante dialogar com a população e saber qual a cidade que queremos e como construir a cidade que queremos”, destacou a arquiteta.

O seminário é o primeiro movimento organizado que debaterá a transparência e a participação social no processo de revisão do documento. Para isso, pela manhã e tarde acontecem painéis com exposição de experiências sobre temas específicos e construção de diretrizes que farão parte de manifesto para nortear o processo participativo na revisão do Plano.