Rio São Francisco – O município de Boqueirão recebeu na noite da última segunda-feira (27) a última edição itinerante do Circuito das Águas, projeto de inciativa da deputada estadual Estela Bezerra que visa esclarecer sobre o uso responsável das águas da Transposição do Rio São Francisco nas cidades do cariri paraibano.

Reunidos na sede da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Boqueirão, os moradores locais puderam debater sobre o projeto da Transposição e quais as implicações do uso das águas para pequenos produtores e agricultores da região.

Foram oito cidades visitadas durante o Circuito: São Domingos do Cariri, Barra de São Miguel, Congo, Caraúbas, Camalaú, Sumé, Monteiro e Boqueirão. “Os territórios visitados apresentam problemas e circunstâncias diferenciadas. Nós conseguimos construir conhecimento, tanto da população em relação às regras, quanto dos técnicos sobre as outras necessidades que a população já estava identificando”, afirmou a deputada Estela Bezerra.

“Nossa avaliação é que o processo foi muito rico”, finalizou a parlamentar, lembrando que próximo dia 5 de dezembro haverá uma grande audiência pública de encerramento, que irá acontecer na Assembleia Legislativa, com representantes de todos os municípios visitados.

De acordo com prefeito de Boqueirão, João Paulo Segundo, o debate é fundamental para se garantir a segurança hídrica da região. “Às vezes as pessoas só começam a se preocupar com a água quando ela está em falta. Com a chegada da transposição é importante podermos debater e ter conhecimento sobre a responsabilidade dessa água, tanto para o consumo humano, quanto para a irrigação, não só do município, mas para toda a região”.

Ronaldo Meneses, gerente regional da CAGEPA, fez um balanço da parceira da autarquia com o Circuito das Águas. “Foi um projeto bem interessante, com a gestão tendo a oportunidade de dialogar com as pessoas e passar informações. Considero essa experiência muito positiva, primeiro porque pudemos ouvir a população, e segundo porque pudemos passar informações riquíssimas. Existem normas técnicas e aspectos legais que puderam chegar à população por meio dessa iniciativa”, afirmou.

Fotos: Martha Vasconcelos